close

*De azuis e etc...a Poesia é.*

home

*De azuis e etc...a Poesia é.*

umolharazul.blogspot.com

olhar interior*



há dias que me perco
em açudes dentro de mim
há antúrios nas margens
colorindo meu olhar aberto
as escolhas são perfeitas
e o tempo um ínfimo detalhe
escalo horizontes de afetos
no meu sentir cordilheira

 há noites que só prossigo
se sonhos reverberam
se jardins extrapolam
em camadas do meu peito
a realidade é brisa fresca
limites são ilusórios
há estrelas iluminando
beijos de amoras e framboesas

há instantes que sou música
e o caminho é puro e sensório
sinto-me envolta pelos sonhos
há vontades pulsando nas partituras
trinados magníficos me enlevam
meu corpo é um hino
sou total introspecção
da felicidade tenho a plenitude
e em amor divago
meu coração menino

Simone karinna* meu eu poético

Claustros*



Sei-me nada
Mesmo assim sou guardiã
De todos meus segredos
Numa cegueira cúmplice
De mim e mim
Apenas esboço feito a carvão
Guardo-me sudário
No peito
Aprendi que sou só
Eu e comigo mesmo.

Karinna*

Bliss*

* ao meu amado


esperei-te a vida toda
sonhei-te em azuis lampejos
minhas carícias sempre te buscaram
queria-te, sem saber, em doce segredo.
antes que te pensasses em mim
meus olhos já te abraçavam
em beijos de amores acalentados.
antes dos ventos descerrarem
essas páginas em branco
já te escrevia na minha pele
em anseios de ti, em toques na derme.
como se todo tempo da minha vida
coubesse na tão nossa memória
dando-me reluzente sentido, escrevendo-me história.
antes que eu soubesse de mim
meu coração, sem saber, sabia de ti
docemente te beijo, por anos, em ternuras sem fim.
não me alcança o tempo
nem a hora de esquecer-te nessa claridade
és meu infinito amor, chamo-te de eternidade.


Karinna*


*bliss, em inglês, felicidade, alegria...


Inteiro*


Inteiro*


Inteiro*


 É tanto o sentir
Que se perdem outros afetos
A noção das horas
Não há norte
Nem sul, nem litoral.
Já nem me sei nascer
Morrer, nem viver...
É tanto que se solta
Inteiro
Num reunir de peles
Entre sonhos
Num único toque de dedos.
Tanto que em marés me perco
Transbordando em dias...
E ver-te
É sempre
Princípio
Meio e fim.


 Karinna*

Respiro de Rosas*

Respiro de Rosas*



Respiro de Rosas*


quando sonhos mergulham na derme
inebriam olhos e lábios
mundo de mistérios, céus e claridades
como perfumes de rosas entre olhares
ouvem-se poemas declamados


é dia perfumado no corpo dos amantes
de seus poros exalam amores
- cabem palavras infinitas em mãos de enamorados-
a fragrância rosada bombeia o peito
amanhecem entre ninhos
como poesia em bocas consteladas


rosas, amores e infinitos...


Karinna*

Frágil*




Frágil*



Frágil *


*a lua sussurra teu nome na minha nuca e o arrepio d'alma se alonga pelas palavras que nascem dos meus dedos sentidos.
insolente ternura me atinge os ossos e as estrelas tremem ante o cintilar do sentimento nesse céu de horas largas...
um coral de anjos entoa o som da solidão de sermos ponteiros de um relógio amoroso. cada minuto soletrado do teu nome na minha boca lilás, é como degustar um amor em letras de ouro, como se fosses minha extensão de lapidados sonhos.
desenho-te em cada alvorada e a cada anoitecer te guardo no horizonte do meu olhar tristonho.
sim, sou apenas verso, esperança redentora de um frágil poema, numa linha timbrada,
numa rua de saibros e alfazemas...

Karinna*

Noites*


Noites*




Noites*

Uma pista de dança
Na valsa das águas puras
Simetria do coração e a palavra

Luz que afasta o medo
Corpo translúcido do verbo
Um ato de ausência
Um veludo-limite que separa

Da paixão a incógnita
A estrela bebe a lua
E o sol é poesia nua

Perde-se nos sentidos
Rasga-se na cicatriz
Saboreia a beleza sem ver
Não se basta- uma sede abissal

Teme-se
Pois não existe
E a inexistência é de suor e sal

Vácuo
Na dor das sílabas
A compreensão
Da incapacidade
O passo que não sabe dar

E os poemas visitam
As noites

-a palavra é seu amor-

Karinna*

Adoração*

Adoração*
 
 
Adoração*
 
 
E Eu beijo-te com todo o tempo
como se palavras fossem deuses
e nós somente adoradores
sedentos do Amor que nos nutre...


E Eu beijo-te com todo o céu
como se versos fossem nossas estrelas
e nós somente amantes lunares
orbitando rotas sem tréguas...


E Eu sonho-te beijo presente
quero-o aqui e agora
por entre minhas lágrimas
-saudade dorida-
marcando minha face silente...


E eu beijo-te, para sempre


Karinna*

*ORLANDO MEU AMADO PAI*

 
*ORLANDO MEU AMADO PAI*
 
 
 
*ORLANDO MEU AMADO PAI*
 
Firmo meu olhar no céu
o horizonte me enlaça
transporto-me aos olhos do meu pai...
de ternuras e meiguices azuladas
de tantas e tantas lembranças
açucaradas de um Amor pleno.
E, ainda há uma pequena dor
tênue e diáfana dor
- da ausência sentida -
uma doce dor
de afetuosas reminiscências.
São três longos anos sem...
contudo MEU PAI tu prossegues
no peito de quem te ama
no azul do meu olhar
que ainda é tão teu...
no sorriso incrível
na face do teu neto Matheus.
Saber-te bem, na paz celestial
traz um morno entendimento ao coração.
Uma paz invade-me
depois das lágrimas da saudade diária
pingos mornos que aquecem
minha existência que sempre será tua
- meu amado pai-
 
tua filha Simone Karina
 
**FELIZ TODO DIA PAPAI PARA SEMPRE*******

sinestesia*



sinestesia*




sinestesia*

meu amor inicia no olhar
derrama-se nas cavidades cardíacas
palpita nas veias das alvas mãos
pulsando sangue e sonho
nas rotas dos lábios em lilás

azulando horizontes
um colar de estrelas nos cílios
sensaçao bipolar de estar
no ventre do sentimento pleno
existo em ti meu astro anjo
como significados em respingos

-desse amor subcutâneo -

Karinna*





Inteiro*Respiro de Rosas*Frágil* Noites*Adoração**ORLANDO MEU AMADO PAI*sinestesia*

Report "*De azuis e etc...a Poesia é.*"

Are you sure you want to report this post for ?

Cancel
×