close

*De azuis e etc...a Poesia é.* | (page 3 of 66)

home

*De azuis e etc...a Poesia é.*

umolharazul.blogspot.com

-apenas de amor muito-

 
 
-apenas de amor muito-
 
 
-apenas de amor muito-
 
 
de amor muito
cubro meu sonho de lua azul
nas noites hereges
quando ser-te é minha luz
no encrespar dos nossos olhares
os afagos são as rimas dos cílios a se buscarem
 
 
dormitam os desejos nascentes
em cada poente do teu beijo anoiteço
e a cada linha oblíqua do teu lábio cereja
sonho-me sorriso entre teus alvos dentes
como é ser de alguém
passado, futuro- presente-
 
 
pintei-te na palma da mão
agora busco-te -as mãos em concha-
alma e coração em dilúvio 
querendo sussurrar uma prece
apenas de amor muito...
 
 
Simone Karinna*

Segundo Coração*

Segundo Coração*

pontuando saudades 
de olho em um lugar de maciez
levo tua existência para não morrer
de vazios e espaços
traço-te meu amor nas estrelas
que debruam meu céu num abraço


levo-te como se transportasse
um segundo coração
oxigenando essa amorosidade
sopro de vida
que lapida a cumplicidade


levo-te porque não há palavra
nem afeto em demasia
que explique
a beleza, a magnitude
a mágica da nossa sintonia


levo-te no sonho inacabado
porque um sonho nosso
só terá fim
quando todas as órbitas
completarem-se 
em plenitude
nesse infinito laço


Simone Karinna*


*és meu segundo coração. Te amo*

De Amor*





De Amor*

De Amor*


E se não brilhasse mais o Sol nos dias
E nem estrelas nas noites teriam
E se o mar se esvaziasse das suas águas
E se nem flores mais em jardins nasceriam


-de amor apenas eu viveria-


Simone karinna*

Infinita*

 
Infinita*
 
Infinita*
 
Infinita*
 
 
Infinita*
 
Tenho uma dimensão infinita de sentimento
Transbordante de pérolas ansiosas de desejo
Tenho uma plenitude concreta e quente...
Lava vulcânica que esquenta meu peito... por vezes silente.
 
Tenho todas as macias sensações em mim
Na ponta dos dedos da alma fremente e cantante
Tenho uma miraculosa história desvendada no meu olho
Extravasada pela vívida ânsia que grita e me consome.
 
Tenho no recôndito da derme as fases da Lua
Fases de ter, esperar, querer... de ser toda minha
Fases prateadas e azuladas... fases de ser toda tua
E nessa dança lunar minha alma...
Por vezes apenas acarinha uma fuga.
 
Tenho dentro de mim o amanhã de certas incertezas
Espectro colorido de todas as dores da Dor... do Amor
Aprendiz da vida... concentro-me nas estrelas
E tantas vezes me torno impermeável... submersa na saudade.
 
Sou apenas uma mulher... louca e despudorada
Tímida e abusada.
Amante da vida, amada.
 
Feminino movimento sem rascunho
Eixo que se organiza em repentes
Parábolas... elipses que percorrem e sentem
Mulher... que fascina e fascinada segue crente.
 
SIMONE KARINNA*

Doce Amor*

Doce Amor*
Doce Amor*



Abundam-me ternuras quando te dizes em mim
Sobram-me desejos quando me penso em ti
Esqueço-me feliz das minhas direções
Quando é teu carinho o meu mapa
As pronúncias do meu nome as tuas rotas.

Apetece-me sobremaneira essa doçura
Que percorre-me a pele, a alma, o corpo
Quando és tu o lume do meu percurso.

Sei apenas dos elos carinhosos
Das tépidas ternuras da minha derme
Refletidas na beleza ímpar dos teus olhos brilhantes.

Torno-me serena quando é o tocar-te o caminho
Cerro os olhos em manso movimento de amor
Quando são eles que te sonham, te aguardam.

Umedeço os lábios rubros com leveza
Quando é teu beijo na minha boca o sentimento.
Esparramo-me em beijos alados
e abraços sonhados no teu corpo másculo
Quando no deitar-me, teu toque cálido me abraça.

São linguagens tão nossas, tão próprias que nos acarinham
Repouso, mansa, minha cabeça no perfume da tua voz
Nos acordes dourados dos teus sons amorosos
Nas notas que compões na partitura do meu corpo tão teu.

Sei apenas desses elos que unem nossos olhares
Dos arrepios que tomam meus olhos quando te percebem
Do êxtase morno que me acomete ao saber-me em ti...

Prossigo assim, em meus passos juntos aos teus
Em sorrisos que se descobrem e envolvem esse torpor
Sinto totalmente a doçura desse Amor.


Simone Karinna*

Memória do Coraçao*

quando fui...fui de mim mesma acovardada pela dor.
nao saí somente de ti. saí  de mim e fui do sonho.
nao há sonho nem cores no meu trajeto.
sinto-me vazia e incompleta e totalmente inapta.
terriveis sao as cicatrizes na alma.
mas estranhamente dentro do vazio sinto-me segura.
optei por mim e por mim mesma.
solidao já vivi de tantas maneiras... até acompanhada.
agora prossigo para o nada com a solidão da memória
a incorruptível e imortal
a memória do coraçao.


Simone karinna*

caminho do nada*



descobri que depois de tanta existência, mesmo que nula, amar é apenas um detalhe.
sentimento nao enche dias e noites de vida. enche de dor.
sofrer ja fez parte da minha corrente sanguínea. agora nao posso mais.
ironicamente escolher nao viver um amor, em vez de me aniquilar, me dá fôlego pra prosseguir olhando o nada na minha frente, que nao deixa de ser um caminho.
sonhos mesmo que momentaneamente  realizados nao se tornam realidade. 
ou se tornam quando seres são fortes e bélicos.
nao sou assim. o que restou do meu invólucro e da minha alma mal sobrevivem o dia a dia.
nao tenho forças pra lutar por nada mais.
esgotei minha cota de batalhas. nao me restam forças.
resignei-me ao nada. meu parceiro de trajetória. 
sonhos realizados e vestidos de realidade nao são pra mim.
eu desisto.

Simone karinna*

Orquídea Azul*

Orquídea Azul*
 
 
Orquídea Azul*



eu queria uma orquídea azul
um sol aquecendo as pétalas
um verso perfumado
que atravessasse minhas artérias...


eu queria uma orquídea azul
um carinho soprado de vida
entre meus dedos longos
sentir-me entre as rugosas fímbrias...


eu queria uma orquídea azul
como se fosse um teu beijo
de olhos da fé que me comovem
sentir-me corpo de um poema jovem...


ah, eu queria uma orquídea azul
mas que fosse tua parte próxima
esse sonho que dorme nas minhas pestanas
como amor-flor que me ama.


eu queria uma orquídea azul...


Simone Karinna*

*De Amor, o Mapa.*


*De Amor, o Mapa.*
 
 
*De Amor, o Mapa.*


Na palma das mãos trago tuas linhas
As ternas distâncias em rotas de carinho
Os teus caminhos de sonhos...os teus sorrisos.
Meu corpo é demarcado pelo teu espaço
E na topologia do desejo me pintas de vermelho
Nas nascentes dos rios me azulas sem segredos.
Teus dedos desenham na minha face a nossa história
Encontramo-nos em traços de um amoroso espaço.
Minhas distâncias te aproximam
Em teus braços de dolentes abraços
Minha pele se aninha denunciando meus passos.

A descoberta dos sinais amorosos que pintas
Intercala sentimentos vivos nas minhas estradas
Inventa pontes que nos unem em beijos peraltas.

Prefiro-me assim...no caminho da ternura do teu mapa
Do que a esmo, ao vento, sem tua mágica.

Meus passos estão todos ali no teu olhar
Os códigos do Amor em oceanos de gostar.

E amado, cruzas as linhas do meu bem querer
Buscas-me próxima ao teu peito e unes nossas estradas
E então decoras-me na tua alma...

Crentes, dobramos e em nosso uno coração,
guardamos, do Amor, o mapa.

SIMONE KARINNA*
 
 
 

Destino*

 
Destino*
 
 
 
Destino*


Colocas-me entre teus braços
E a voz do teu gesto me cala
Nos idiomas dos teus carinhos... me devassas.


Pronuncio-me em ti no gosto da tua boca
Sou-te sabor de luz, música desnuda
E na tua nuca lambo-te a canção louca


Na vertigem de ser tua construo um sonho
Acordo-me como que amanhecida no teu peito
No ardor do teu tato, na plenitude do beijo.


Abraça-me a simetria do nosso tempo
Entre tuas mãos esculpes-me as rotas dos meus segredos
Em meus olhos tatuados ficam nossos anseios
Afloro do miolo... nas ternuras dos teus dedos.


Desabrochada, sou inteira, tua, mansa e plena
Acetinada, deslizo dançante em tuas mãos
Entre malícias amorosas e mistérios carmins
Traçamos sonhados e poderosos caminhos
Em teus braços o Amor cumpre seu destino em mim.


Simone Karinna*.
-apenas de amor muito- De Amor*Infinita*Doce Amor*Orquídea Azul**De Amor, o Mapa.*Destino*

Report "*De azuis e etc...a Poesia é.*"

Are you sure you want to report this post for ?

Cancel
×